Publicado por: krustytheclown | fevereiro 11, 2010

Uma Concha de Álcool Para o Mundo

Até que enfim o álcool parece mesmo prestes a decolar.
Pra quem não acompanhou, a parceria da COSAN com a SHELL vai fazer com que o nosso etanol, o da cana de açúcar, seja utilizado no mundo todo.

Bom ou ruim?

-A Shell é a maior distribuidora de combustíveis do mundo.
-Os EUA são o maior consumidor de etanol do mundo (Eles utilizam cerca de 8% de etanol na gasolina, mas o etanol deles é de milho)
-O etanol da cana foi considerado o melhor substituto para a gasolina, uma vez que a emissão de carbono resultante da sua combustão é mais de 60% menor, enquanto o etanol de milho é cerca de 20% menos poluente do que o derivado de petróleo.

Os EUA taxavam o álcool da cana em algo como 30 centavos por litro, como medida de proteção aos produtores do álcool de milho, que lá são muitos.  Agora isso vai ter que mudar.
Com a Shell fazendo lobby, é praticamente certa a derrocada dessa medida protecionista, e aí o álcool brasileiro vai poder entrar nos EUA com mais baixo custo.

Tá, mas eu ainda não entendi se isso é bom ou ruim.

Uhm…ok…

Vamos pensar no nosso dia-a-dia.

Todo mundo comprou carro flex aqui no BR, certo? Sim, o álcool é mais limpo (?1), é renovável (?2), é mais barato (?3).
Beleza. Tudo isso era defendido com unhas e dentes até pouco antes de o nosso Rei presidente, molhar suas mãos no petróleo das novas grandes reservas.

O álcool só voltou a tona por que a SHELL, e não a PETROBRÁS, viu nele o futuro. Legal, né? A Petrobrás, que praticamente o escanteou nos últimos tempos, agora vai ter que correr atrás.

?1 – Álcool mais limpo
Tem quem diga que se considerado todo o ciclo produtivo do álcool, desde o plantio, até a colheira e logística, o etanol se torna tão ruim ou pior do que a gasolina.
Sem falar na mão-de-obra “escrava” utilizada nos canaviais.

?2 – É renovável
É mesmo? Uma vez me disseram que a cana-de-açúcar esgota o solo em um período relativamente curto. Não sei se isso é verdade,
já estou encucado demais pra procurar embasamento científico. Ah, e eu não sou agrônomo e nem tampouco tenho interesse financeiro no etanol.

?3 – É mais barato
Talvez pra quem venda. Eu já não uso mais álcool combustível há um bom tempo. À primeira vista ele não compensa. A demanda por álcool fez com que seu preço subisse, e muito.
O álcool parece ser o típico barato que sairá caro no futuro.

Será que o mercado internacional, uma vez tendo se tornado um consumidor massivo do etanol, não vai forçar naturalmente a alta dos preços?
Vai, da mesma forma como a venda excessiva de carros forçou o preço do álcool pra cima.
E aí o preço no brasil vai subir, assim como o da gasolina. Teremos de pagar o preço em dólares, ou euros – vai saber.

UHUUU, etanol mundo afora.

Pode ser, sim, que ele se torne algo como a gasolina do futuro, o que eu duvido. Onde iriam plantar tanta cana? Quem seria o canavial do mundo?
E as outras culturas? Se o álcool se tornar mais rentável que o soja, trigo, milho, quem trabalha nessas culturas vai passar a plantar cana. O preço do soja/trigo/milho vai subir, e junto sobe o preço dos alimentos.

“Enquanto isso, no futuro, lá se vai a floresta amazônica. Menos árvores, mais canaviais.”

Não respondi as minhas perguntas, por isso provavelmente zeraria uma redação.
O pior de tudo é que essa dúvida do “BOM OU RUIM” ficou na minha cabeça e ninguém consegue me convencer a tomar alguma posição. Há algum tempo postei algo falando mal do abandono do álcool pela petrobrás, agora já estou criticando a possível ascenção do combustível vegetal.

Alguém aí pode me ajudar?

PRA FRENTE, BRASIL!

Anúncios
Publicado por: carineroza | julho 11, 2009

Porque hoje é sábado

E a minha cabeça gira…

Tanta coisa para pensar, tanta coisa para mudar, ninguém para compartilhar, ó céus, ó vida…

É uma bunda que chama mais atenção do mundo inteiro do que os problemas mundiais, tudo porque grandes chefes simplesmente fizeram aquilo que qualquer um faria no lugar deles, são podres e mais podres que aparecem do Sarney, é todo mundo querendo fazer concurso público e eu sem entender porque…

Tédio! Tédio! Tédio!

Publicado por: carineroza | maio 29, 2009

Calmá! Calmá!

Sentimos falta de escrever, talvez não tenhamos é coragem de parar na frente do computador e dar gargalhadas sozinhos, porque normalmente, mesmo que o assunto seja sério, sempre acaba em gargalhadas as nossas teorias e conversas.

E esse é um daqueles vídeos que contem frases e interjeições que acabam fazendo parte do nosso vocabulário diário.

Publicado por: Rodrigo | fevereiro 8, 2009

A volta do trio do ba-lai-o : Comment

Eu iria fazer um comentário no texto do Krustboy, mas ficou tão grande que mereceu um post. Aí está:

Krusty, espero que o Brasil continue com as pesquisas na área de combustíveis alternativos, tais como o etanol. Acho que o governo está investindo no petróleo sem deixar de investir no etanol. Pelo menos assim eu espero.

Todo mundo festejou a vitória do Obama – e dessa vez foi o mundo inteiro mesmo. Mas não era necessário tanta comemoração. Nenhum governo será mais desastroso que o de Bush. Dificilmente veremos os mesmos erros serem cometidos novamente. Mas o Bush foi eleito duas vezes e cada povo tem o governante que merece.

Festas a parte, poucos sabem que o partido Democrata é mais protecionista do que o Republicano. Os americanos sabem o quanto é ruim ser dependente do petróleo de outros países e não vão repetir o mesmo erro. Vão tentar pelo menos minimizar a dependência externa de qualquer outro combustível que venha a substituir o petróleo. Em suas promessas de campanha, Obama já falava em subsídios as lavouras destinadas a produção de etanol, o que prejudicaria a concorrência do produto brasileiro no mercado americano.

Já tivemos casos onde o Brasil deixou de exportar produtos, motivado pela pressão externa de outros países. Agora temos um produto mais nobre, sem questões éticas para serem analisadas, como era na época da industria bélica brasileira. Será que a história vai se repetir? Como o Brasil adora ser vitima, acredito que isso pode acontecer.

E a crise global não é somente uma marolinha, mesmo que o nosso presidente não concorde.
E um conjunto de medidas econômicas é o mesmo que um pacote econômico, mesmo que o nosso presidente não concorde.

Temos demissões em vários lugares, fuga de investimentos, acionistas de primeira viagem realizando prejuízos, pessoas refazendo planos… E é nesse ponto que eu quero chegar.

Agora o plano deveria ser estimular o consumo. Se a gente não aquecer a economia, ela não vai se recuperar. Se todo mundo guardar o dinheiro no banco, as empresas não vão sair da crise, pois não vão vender seus produtos e vão ter de demitir mais pessoas. É um cachorro correndo atras do próprio rabo.

E quando o mercado voltar para os índices anteriores a crise, o Brasil deveria continuar a estimular o consumo. E estimulando o consumo, a produção terá de aumentar para sustentar esse consumo. E como fazer para aumentar a produção se não temos energia suficiente para a fabricação dos produtos (alguém já esqueceu os apagões), e nem temos como transportar as mercadorias de forma economicamente viável a longa distancias? Ainda usamos estradas (mesmo sendo um país com um potencial de transporte hidrográfico muito bom), e as estradas estão cada vez piores. Esbravejar para que os empresários "dar um jeito" é bonito como discurso, mas pouco pratico.

Krusty, você devia escrever sobre os dejetos de porco e a experiência de vida do seu tio. Vale um post 🙂

Publicado por: krustytheclown | janeiro 27, 2009

A volta do trio do ba-lai-o

Voltamos para trocar o óleo do nosso blog. Coitado, ficou abandonado por praticamente um ano. E nesse ano muita  coisa aconteceu. Muita coisa mesmo.

Nossa vida profissional meus colegas podem ajudar a confirmar. Foi conturbada. O estica-encolhe da empresa nos deu alguns sustos, que acabou sendo muito melhor do que imaginávamos. Enquando a economia dava sinais de que tudo estava bonito algumas coisas aqui dentro foram alteradas e, felizmente, sobrou um pouquinho de mel para nós três.

Falando em óleo e em economia, hoje li algo que me deixou profundamente irritado. Não que eu não tenha gostado do que eu li, e sim, pois meu ECO-lado (com ou sem hífen? isso tá me enchendo-o-saco) disse que algo não está certo.
A conjuntura todos já sabem: o mundo está enfrentando um dos piores momentos da história do capitalismo. Gostem do presidente ou não, ele mentiu quando falou que não estamos numa ruim. Estamos sim em crise, estamos sim com o cuw na mão. Estamos, sim, com MEDO.

O que eu li  veio do nosso presidente – ele anunciou reforço de uns 100 bilhões de reais para aos caixas do BNDES.

Até aí tudo bem, já que o que querem é realmente estimular o consumo fomentando o crédito a despeito da pobre noção financeira que nossa nacionalidade carrega. O que me machucou foi ter visto que parte desse dinheiro vai ser voltado à Petrobras para seus projetos de exploração do pré-sal.

<Não odeio a petrobrás. Inclusive tenho ela como uma das minhas namoradinhas em algumas tentativas de investir no mercado financeiro.>

Problema est: nosso país não se vangloriava por não ter atrito algum de disputa por petróleo? Por quê não investir mais em energias renováveis? Não era o nosso forte? A era do petróleo c’est fini (…il faut se dire adieu [isso é o nome de uma música])!!! QUALQUER investimento dentro dos próximos 100 anos terá sido mera tentativa de sobrevivência. O mundo está se degradando, queimamos mais e mais óleo, e não precisamos mais dele. Somos evoluídos tecnologicamente o suficiente para que possamos deixa-óleo de lado.

<me lembrou alho-e-óleo. Ou será Alheoleo?>

Pena que não somos mentalmente grandinhos para assim fazermos.

Cadê o Brasil do etanol? Esvaiu-se em merda quando descobriu que sob esse berço esplêndido, ao som do mar e à luz do céu profundo havia MUITO óleo.

O planeta tem recursos inesgotáveis como o sol, a água, o vento, sem falar que podemos usar nossa própria merd-a pra gerar energia. E por que não investir nisso? Será a força do lobby?

Porra, se Lobby tivesse um cwzinho alguém já o teria comido com areia.

O presidente quer ser lembrado como o cara do tempo em que o país se descobriu potencial membro da opep, e não como o país que mais explora energias renováveis. O marido da Mariza perdeu seu foco quando “por entre seus dedos, escorreu o ouro negro.” Garanto que se ele enfiasse a mão em cocô de porco não acharia tão bonito. E se alguém se perguntar o que é que fezes têm a ver com petróleo, eu respondo: “-É, amigo. Dá pra gerar energia com isso…”

Gurizada, eu escrevi tanta besteira só pra dizer que eu gostaria muito de ver nosso país como o Avant Garde das tecnologias de geração de energia renovável, muito mais do que ver nosso Brasil ajudando a controlar a produção mundial de petróleo.

Quando temos uma oportunidade de inovar devemos agarrá-la a dentadas, senão vem outro e o faz.

Mais uma vez, o Brasil vê passar uma oportunidade. E vamos correr atrás de petróleo. Aquele mesmo petróleo que tanto mal traz ao nosso planeta.

Aaaaaaah, mas ele dá lucro. Issooo…esqueci desse detalhe. Sorry!

E nossa polêmica e venerável governadora do RS, dona Yeda (que por sinal tem sido muito mais macho do que nossos ex-governadores) falou algo sobre energia eólica:

energia eólica é cara, sim, mas ela é barata se considerarmos o baixo impacto que ela causa no meio-ambiente.

<<aplausos para ela>>

Ela está certa. É caro, mas está na hora de investirmos no nosso futuro. Quando chegará o dia em que veremos o quão errado estamos?

Não sei. Diz-se que somente D’eus sabe.

Older Posts »

Categorias